quarta-feira, 6 de agosto de 2014

...

Como disse Heráclito, quando entramos em um rio pela segunda vez, nem ele, nem nós somos os mesmos. Tudo é passageiro, mutável. Posso discordar amanhã, o que escrevo hoje. Quando penso nas difilcudades, parece que uma "força" envia uma nova ideia para que você possa entender o presente. Yin-yang, todo bem, tem um pouco de mal. E vice-versa. Não adianta se preocupar tanto com as intempéries do presente, e nem achar que a alegria é eterna. Tudo é passageiro, cíclico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário